top of page

Assembleia do Sindtifes-PA vota manter proposta de reajuste salarial de 53% e equiparação dos auxílios

Categoria cobra que o Fonasefe aponte data para greve em março e chame paralisação em 22/2

 

Servidores (as) técnico-administrativos (as) da UFPA, UFRA, Unifesspa e Ufopa realizaram Assembleia Geral nesta sexta-feira (26/1) e definiram por unanimidade manter a proposta de reajuste salarial de 53%, a equiparação dos auxílios aos recebidos pelo legislativo ou judiciário e o revogaço das medidas de Temer e Bolsonaro que prejudicam os servidores e os serviços públicos, como a Reforma Administrativa.

 

A assembleia avaliou que é equivocada a proposta da direção do Fonasefe e que não é  o momento de apresentar contraptoposta que reduza a reivindicação salarial dos servidores públicos federais. As falas ressaltaram que o próprio governo se demonstra irredutível quanto ao reajuste em 2024, por isso seria equivocado apostar em aguardar uma nova mesa de negociação, já que em 2023 o governo nos enrolou o ano inteiro para em 18 de dezembro, na véspera do recesso, apresentar nenhum índice de reajuste para 2024.

 

Para fortalecer a luta, a assembleia também aprovou o calendário indicado pela Fasubra que propõe Ato nas Reitorias dia 01/2 pata cobrar apoio dos Reitores à nossa reestruturação do PCCTAE; Paralisação Nacional em 22/2 e indicativo de greve para 11/3. Essas datas ainda precisam ser referendadas nas assembleias específicas de cada universidade que compõe a base do Sindtifes-PA (UFPA, UFRA, Unifesspa e Ufopa).

 

Seguiremos cobrando do Fonasefe, Fonacate e das centrais sindicais a unidade efetiva dos SPFs numa paralisação nacional no dia 22/02 rumo a greve unificada em março para avançamos nas nossas reivindicações de de salário digno parado conjunto de nossa categoria e contra uma reforma administrativa que vise retirar direitos.

 

Só no orçamento de 2024 serão mais de R$ 2,5 trilhões aos bancos via dívida pública, quase metade do orçamento. O governo tem em caixa cerca de R$ 5 trilhões só para o sistema da dívida pública, conforme denúncia a Auditoria Cidadã da Dívida. Então há dinheiro e precisamos lutar pela valorização dos serviços e servidores públicos, e não para que o dinheiro dos nossos impostos vá para os banqueiros e grandes empresários.

 

Fonasefe tem que convocar paralisação nacional em 22/2 e apontar um data para greve em março

 

Outro encaminhamento da assembleia do sindicato foi apresentar na plenária do Fonasefe de 30/1 a seguinte proposição de calendário de luta: 1) Que o Fonasefe convoque uma paralisação nacional dos servidores federais em 22/2; 2) Que o Fonasefe aponte uma data em março para o início de uma greve unificada diante da política do governo de reajuste zero em 2024 e de ignorar as nossas perdas salariais dos governos Bolsonaro, Temer e Dilma (Taes têm perdas de aproximadamente 53% de 2010 a 2023).

 

Ato nas Reitorias em 01/2 para cobrar apoio dos reitores e da Andifes à reestruturação do PCCTAE

 

Outra importante deliberação da assembleia foi a da construção de atos públicos dos Taes nas Reitorias em 01/2, cobrando que Reitores apoiem nossa proposta de reestruturação de carreira e levem esse tema à Andifes.

Na UFPA e na Unifesspa também o Sindtifes-PA enviará a proposta aos pré-candidatos às Reitorias, já que essas instituições terão eleições ainda este ano.

 

Convocação do 2° Congresso do Sindtifes-PA será em outra assembleia

 

Também foi aprovado por unanimidade retirar da pauta da assembleia a convocação do 2° Consinditifes.

A direção do sindicato vai divulgar nas mídias da entidade a proposta de convocatória e vai chamar uma assembleia para que a base vote o assunto.



50 visualizações0 comentário
bottom of page