Assembleia Geral elege ações em favor dos Hospitais Universitários

Para tentar impedir que a Empresa Brasileira EBSERH passe a lucrar com a saúde pública nos hospitais da Universidade Federal do Pará (UFPA), trabalhadores do Barros Barreto (HUJBB) e Bettina Ferro (HUBFS), com apoio da Associação dos Amigos do HUJBB, elegeram as ações em favor dos Hospitais Universitários (HUs), a fim de sensibilizar a comunidade universitária e todos aqueles que necessitam do Serviço Único de Saúde (SUS) para a gravidade do problema que é a possível entrada da EBSERH nos HUs.


As ações foram elencadas na Assembleia Geral realizada na quinta-feira (13), no auditório do Hospital Barros Barreto, onde foram escolhidos cinco atos de luta em defesa dos HUs, conforme o que fora debatido durante o Seminário de Luta em Defesa da Saúde e Educação Públicas, promovido no mês passado, pelo Sindtifes, que teve a participação de cerca de 200 pessoas, entre técnicos-administrativos, docentes e estudantes.


O Sindtifes lamenta a ausência do reitor da UFPA, senhor Carlos Maneschy, e dos diretores dos dois HUs, Paulo Amorim e Eduardo Leitão, que mais uma vez não compareceram para debater um assunto de tamanha gravidade, e sequer enviaram alguém para representá-los.


Já na próxima quarta-feira (19/12), no hall da reitoria, haverá reunião de trabalhadores para definir datas e formar as  comissões que irão atuar na universidade e fora dela, em favor dos HUs. Será definida, por exemplo, a data da emissão do Abaixo-assinado que será emitido, nas formas escrita e virtual, em favor dos Hospitais Universitários, em conjunto com a Associação dos Docentes da UFPA (Adufpa), Diretório Central dos Estudantes (DCE) e Sindtifes, e demais associações que debateram, durante o Seminário, a realidade do atendimento em saúde no Brasil e no Pará, como o Sindmepa entre outras entidades que lutam em defesa da saúde pública, e a formação dos comitês.


Além disso, estão previstas  ações de paralisação as atividades nos HUs por tempo determinado, para chamar a atenção de servidores e usuários para a gravidade do problema; consulta a toda comunidade universitária, através de plebiscito, para saber se aqueles que constroem a universidade aceitam ou não uma empresa privada administrando o que é público; audiências com conselheiros de saúde do estado e mobilizações junto a associações de bairros, onde reside a camada pobre da população, principal usuária do SUS, e uma articulação com a presidência nacional da OAB, a fim de derrotar essa estratégia do governo federal de transferir os serviços de saúde e educação nas mãos da iniciativa privada. A luta em defesa dos HUs é de todos! Não à privatização! Não à EBSERH!

 

 

Texto e fotos: Rui Pena

 

comments

Links importantes