NOTA SOBRE A COBRANÇA E DEVOLUÇÃO DO DESCONTO INDEVIDO

O Sindtifes informa que, por problemas burocráticos que fugiram à nossa governabilidade, foi cobrado duplicado o percentual de desconto. Informamos também que esse recurso será devolvido a partir do dia 08 de agosto.

Por que houve esse problema?

Anualmente os sindicatos precisam fazer o recadastramento das filiadas e dos filiados, bem como da nova gestão junto à Receita Federal. Todos os anos esse processo era realizado no mês de março, até o governo Bolsonaro assumir e desencadear uma série de medidas com a finalidade de atacar o movimento sindical, entre elas, não deixar um período fixo para a renovação do cadastro. Esse ano, ocorreu que o período de recadastramento foi no mês de junho, sem qualquer aviso prévio. Também a clara intenção de nos prejudicar, nosso acesso fica bloqueado até a conclusão desse trâmite, por isso não conseguimos alterar a cobrança do fundo de greve. Nós já tomamos ciência dessa situação, já estamos procedendo com o recadastramento e até o dia 08 de agosto já teremos concluído, e então poderemos proceder com a devolução desse recurso.

Como o recurso será devolvido?

Por uma questão de segurança, recomendamos que as filiadas e os filiados compareçam à sede do Sindtifes, nos altos do Vadião, com este documento que você pode baixar AQUI devidamente preenchido e assinado. Ou ter acesso e preenchê-lo no sindicato. Nele você nos informará os dados pessoais e o pix. Caso não seja possível você comparecer à nossa sede, a informação desses dados pode ser feita via telefone, onde cruzaremos os dados fornecidos com a listagem que possuímos, para então procedermos com a devolução. Situação semelhante já ocorreu com as filiadas e os filiados das outras universidades que compõem o Sindtifes, uma vez que só a UFPA entrou em greve, e não houve qualquer problema. E temos certeza que com a UFPA não será diferente.

Transparência
Pedimos desculpas pelo transtorno e reiteramos que o Sindtifes sempre prezou pela transparência no uso dos recursos, e que a greve deste ano foi uma demanda da base das/os filiadas/os da UFPA, que por ampla maioria foi aprovada em detrimento da proposta inicialmente apresentada pela direção, que era instaurar a greve num próximo momento. A assembleia do dia 08 de junho, decidiu pelo movimento paredista, foi lotada de pessoas com disposição de luta como não se via há anos. Não permitiremos que artimanhas burocráticas do governo Bolsonaro prejudique o movimento sindical independente e combativo, que é uma das principais armas para conquista e manutenção de direitos trabalhistas. Seguiremos juntas e juntas, e cada vez mais fortes.

comments

Links importantes