Técnicos e professores fazem paralisação dia 7 de junho pela revogação da emenda 95

A emenda 95, aprovada em 2016 pelo governo ilegítimo de Michel Temer, é famosa por um feito nefasto: o corte de gastos públicos em áreas essenciais como saúde e educação. Nesta quinta-feira, 7, os servidores federais irão às ruas em todo o país para dizer não à medida. No caso dos técnicos em educação, a reposição de perdas salariais é também uma pauta central. Em Belém, o protesto está marcado para às 10h, na Praça da República.


A coordenadora geral do Sindtifes, Taís Ranieri, informa que os técnicos administrativos da UFPA, Ufra, Ufopa e Unifesspa já decidiram em suas assembleias que vão paralisar suas atividades de trabalho no dia 7. Outras categorias também participarão do movimento, como é o caso dos petroleiros e dos docentes da UFPA. Ainda de acordo com a coordenadora, as bandeiras do dia de lutas são tanto gerais quanto específicas.


“Nossa categoria já acumula mais de 25% em perdas salariais por falta de reajustes. Precisamos pressionar o governo para que seja estabelecida uma mesa de negociação quanto a isso”, diz Taís Ranieri. O congelamento das verbas para áreas sociais representado pela emenda 95 é, sobretudo, a pauta que unifica as reinvidicações do dia 7. “Revogar essa emenda é essencial para que o país continue sobrevivendo”, afirma a dirigente.


FONASEFE

Na última terça-feira (29), foi realizada a reunião do Fonasefe (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais) em Brasília, com a presença de entidades da categoria para discutir os rumos das lutas para o próximo período.

Para Saulo Arcangeli, representante da CSP-Conlutas na reunião, é necessário incorporar à luta da categoria de servidores públicos as ações importantes do último período, como as greves de caminhoneiros, petroleiros, rodoviários e professores, por exemplo.

 

comments

Links importantes