Assembleias aprovam ações para o dia 23 de maio e paralisação nacional dia 7 de junho

As assembleias realizadas na UFRA e na UFPA, nesta sexta-feira, 18, decidiram a realização de três atividades em Belém que tem como objetivo a defesa dos direitos da categoria. O Congresso da Fasubra, realizado entre os dias 6 e 11 de maio em Poços de Caldas, também foi tema da assembleia. Na UFPA, os técnicos elegeram ainda a chapa que representará o sindicato na próxima plenária nacional da Fasubra, a ser realizada nos dias 15 e 16 de junho em Brasília.


Foi decidido que, no dia 23 de maio, os trabalhadores da UFPA realizarão pela manhã um ato em frente ao Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB). A mobilização denunciará o processo de demissão em massa que vem ocorrendo no Restaurante Universitário (RU) e nos Hospitais Universitários (HU´s). A ação também será um protesto contra o sucateamento do HUJBB.


Segundo Angela Azevedo, presente na assembleia, o número de leitos do local teve um corte de cem unidades, o que é alarmante para um hospital de alta complexidade. Ainda no dia 23, ocorrerá um debate às 17h, no hall da Reitoria da UFPA, para a construção de uma paralisação nacional no dia 7 de junho. Entidades como Adufpa e Sintsep também serão convidadas para a conversa sobre a conjuntura e o planejamento das ações.


Os técnicos aceitaram o chamado feito pela reunião do Fonasefe, realizada nesta terça-feira, 15 de maio, e decidiram paralisar suas atividades no dia 7 de junho como forma de pressionar o governo pelo aumento real dos salários e contra ataques que ainda estão em voga, como a reforma da previdência. Foi proposto que o dia 23 seja de preparação desse movimento. Os técnicos da UFRA, na assembleia realizada às 8h, optaram por paralisar tanto no dia 23 de maio quanto no dia 7 de junho.


FASUBRA

Na assembleia da UFPA, além dos debates sobre as atividades de paralisação, os técnicos aproveitaram para votar seus representantes para a plenária nacional da Fasubra. Três chapas se inscreveram e as representantes eleitas foram: Angela Azevedo e Terezinha Nunes, com 15 votos.


 

O Congresso da Fasubra foi objeto de reflexões e balanço. Miguel Guimarães, da coordenação do sindicato e participante do Confasubra, afirmou que o congresso foi importante para a organização coletiva em lutas históricas da categoria. “Foi muito importante sabermos como a Ebserh vem agido em âmbito nacional, por exemplo”, considerou.

comments

Links importantes