Qua, 31 de Março de 2021 17:31

O Sindtifes vem a público manifestar repúdio às declarações e tentativas autoritárias de Bolsonaro. São inadmissíveis as defesas de estado de sítio, de mobilização nacional, e a perseguição a servidores e servidoras públicos que não concordam com a ideologia e a corrupção do governo, com o uso de instituições como a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a Polícia Federal (PF) e as Forças Armadas.


A saída dos três chefes das Forças Armadas nesta semana traz um alerta. Bolsonaro queria que os militares pressionassem o Congresso a aprovar o estado de exceção, que dá plenos poderes ao presidente e ameaça à ordem constitucional democrática.


O governo atual comemora o sangue derramado de dezenas de milhares de brasileiras e brasileiros, inclusive crianças, durante os 21 anos de governo militar e hoje promove um verdadeiro genocídio na pandemia ao incentivar aglomerações, o não uso de máscaras, atuar contra medidas restritivas, além de impedir o acesso universal da população às vacinas.


Em momento tão grave, os assassinos da ditadura são exaltados. Assim, Bolsonaro não disfarça suas intenções de eliminar as liberdades democráticas da população.


O Sindtifes, assim como a Fasubra, defende que a verdade seja dita sobre os exílios, assassinatos, torturas e demais atrocidades da ditadura, para que não se apague a nossa memória e se faça justiça. Além de reafirmarmos que o impeachment de Bolsonaro é urgente, para pararmos as mortes, combatermos a pandemia e construirmos um país mais justo, livre e saudável.

#DitaduraNuncaMais
#ImpeachmentJa
#ForaBolsonaroEMourao

comments