Qua, 03 de Março de 2021 17:47

 

Os técnico-administrativos em educação, trabalhadores das universidades federais no Pará, reunidos em assembleia geral nesta quarta-feira (3), analisaram as novas medidas de combate à pandemia do covid-19 anunciadas pelo governador do Pará, Helder Barbalho, pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, e demais prefeitos da Região Metropolitana de Belém na terça-feira (2), e chegaram à conclusão de que o decreto é ineficaz para proteger a população.

“As medidas são insuficientes porque seguem em pleno funcionamento atividades econômicas que influenciam na transmissão do vírus, como os transportes públicos, as escolas particulares, o comércio e os shoppings”, afirma a resolução aprovada pelos participantes da assembleia.

Para salvar vidas, de acordo com os técnicos e técnicas, é necessária a implementação de um lockdown estadual e nacional, garantindo o funcionamento dos serviços essenciais com todas as medidas sanitárias necessárias, combinada com a política de auxílio-emergencial de um salário mínimo, vacinação em massa da população e quebra das patentes para a produção de vacinas.

“As medidas das prefeituras de Belém, Ananindeua, Marituba e do Governo do Estado precisam incluir um plano emergencial de funcionamento do transporte público que garanta a segurança dos trabalhadores rodoviários e dos usuários, o fechamento de todos os serviços não-essenciais, a fiscalização efetiva do cumprimento das medidas e a extensão da obrigatoriedade do uso de máscaras em todas as vias públicas da cidade”, propõe o documento.

O Sindtifes pretende, junto com entidades parceiras, construir um documento público à sociedade paraense com as medidas que julga fundamentais para salvar vidas.

 

Em breve, a resolução será disponibilizada na íntegra.

 

comments