Ter, 17 de Novembro de 2020 19:33

Pesquisa realizada com técnicos-administrativos das quatro universidades públicas do Pará, aponta que 66,7% dos entrevistados sentiram problemas físicos, principalmente dores de coluna, desde que o regime de trabalho remoto começou em razão da pandemia, em março deste ano.

O dado faz parte dos resultados do levantamento realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior no Pará (Sindtifes), que ouviu 159 servidores da UFPA, UFRA, UFOPA e UNIFESSPA. Por meio de questionário online, foram também tratados temas como alta na conta de luz, perdas salariais e as dificuldades enfrentadas especificamente pelas mulheres no novo modelo de trabalho.

Para apresentar os principais números da pesquisa, o sindicato realiza nesta quinta-feira (19), às 10h, no Facebook da entidade (https://www.facebook.com/sindtifes.pa), reunião em “live” do Grupo de Trabalho (GT) da entidade que estudou o assunto. O objetivo é divulgar as informações e alertar para a necessidade de garantir condições adequadas às trabalhadoras e trabalhadores para trabalhar com segurança, sem risco de contaminação pelo vírus, mas também sem outros problemas trazidos pelo trabalho remoto sem adequações.

Participarão da transmissão ao vivo os técnicos: Taís Ranieri (coordenação geral do Sindtifes), Márcia Santos (do campus da UFPA de Castanhal), Felipe Melo (do Instituto de Ciências da Educação da UFPA) e Daniel Sombra (do Núcleo de Meio Ambiente da UFPA). A comissão espera a participação de todos para tirar dúvidas e debater as políticas necessárias de garantias de direitos aos trabalhadores.

 

Serviço:

Live: Trabalho Remoto

Data: 19 de novembro

Hora: 10h

Local: facebook/Sindtifes.pa

comments