Qua, 07 de Novembro de 2018 10:49

 

 

A coordenação geral do Sindtifes reuniu nesta terça-feira, 6, com a Assessoria da Diversidade e Inclusão Social (ADIS) da Universidade Federal do Pará (UFPA) para debater a proposta de resolução ao Conselho Universitário (Consun), que trata sobre o assédio moral na instituição. A iniciativa partiu do Sindtifes e é pioneira no enfrentamento de todas as formas de discriminação na universidade.

O documento, em fase de elaboração, terá como objetivo implementar uma política institucional de prevenção e enfrentamento a ser adotada em casos de assédio moral, sexual e quaisquer outras formas de “discriminação/preconceito, a qual tem por finalidade estabelecer princípios e diretrizes no combate dessas situações no âmbito da UFPA”, determina o texto inicial.

A professora e pesquisadora da UFPA, Zélia Amador de Deus, membro da ADIS, elogiou a ação do sindicato e considerou a resolução um instrumento fundamental para pressionar gestores e outros atores de comando da instituição a atentarem para o combate ao assédio. “Devemos dar prosseguimento logo a essa resolução. Só a existência dela já é um grande avanço, pois já coloca a possibilidade de vigilância contra ações de assédio”, afirmou.

De acordo com o coordenador do Sindtifes de combate ao assédio moral e todas as formas de opressão, André Carvalho, a aprovação da resolução é um passo importante e significativo para todos os servidores e alunos da UFPA, pois a cada ano vem aumentando casos de abusos, principalmente por parte dos gestores, que causam adoecimento psicólogo e físico aos assediados.

“Nesse sentido, essa resolução vem para diminuir e coibir esse tipo de ação dentro do ambiente de trabalho e, consequentemente, ajuda todo aquele que sofre assédio a ter uma ferramenta e uma forma de denunciar e fazer com que esses casos não fiquem impunes”, afirmou.

Quando a proposta chegar em seu formato final, após serem incorporadas as sugestões da ADIS, o texto será encaminhado ao reitor Emmanuel Tourinho e divulgado aqui, no site do Sindtifes, na íntegra.

 

 

 

comments