Ter, 08 de Maio de 2018 17:53

O Sindtifes participa desde o último domingo, 6, do 23º Congresso da Fasubra na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais. Nesta segunda-feira, 7, foi realizada no turno da tarde a mesa que debateu a conjuntura política atual do país. No espaço de troca de ideias e reflexões, estiveram representantes das centrais sindicais CUT, CTB, Intersindical e Combate e o professor do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Valério Arcary.


A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), por meio de seu representante, fez um chamado à Fasubra para que sejam fortalecidas as lutas antiimperialistas, por soberania nacional e contra o projeto neoliberal estadunidense. Já Valério Arcary destacou a necessidade da luta contra as reformas, como a trabalhista e da Previdência, se combinarem com as lutas em defesa das liberdades democráticas e a contra a ascensão da ultra direita.


De acordo com o professor, a ultra direita se apóia na disseminação do medo para se propagar. Enquanto a esquerda, “na esperança de transformar o Brasil combatendo as desigualdades que marcam nosso país”. E para combater as desigualdades, ainda segundo Arcary, são necessárias medidas profundas como a reforma agrária, a reforma urbana e o fim dos privilégios das classes dominantes.


A Centra Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) trouxe para o debate os significados do golpe parlamentar de 2016. De acordo com a representante, “o golpe não foi apenas contra uma presidenta eleita por mais de 50 milhões de brasileiros. Foi um golpe contra a democracia e os direitos sociais e trabalhistas”. O consenso da mesa de conjuntura se deu no reconhecimento da tarefa central do momento presente: buscar os pontos de convergência entre todas as entidades de esquerda para enfrentar a escalada ultraconservadora.

 

comments