Seg, 18 de Setembro de 2017 14:36

O Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior no Estado do Pará (Sindtifes-PA) repudia veementemente o e-mail com teor racista e homofóbico em que se ameaçam diretores e alunos da Universidade Federal do Pará (UFPA). O sindicato repudia o ato mais ainda por haver fortes indícios de se tratar de uma perseguição machista de ex-companheiro de uma estudante do Instituto de Ciências Biológicas (ICB).

Na madrugada de domingo, 17, foi enviado um e-mail cujo título é “Atenção, negros cotistas, homossexuais esquerdistas e outros vermes que sujam a UFPA”, endereçado a diretores de órgãos da universidade, como o Instituto de Letras e Comunicação (ILC) e o Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH).

Em trecho do e-mail, há uma ameaça de morte. “A vontade que eu tenho é de ir pra aula com uma 9 mm e fazer um massacre com todos os pretos sujos, cotistas e esquerdistas.”

Segundo a coordenação do Sindtifes, há fortes indícios de que a mensagem tenha sido enviada por ex-companheiro de uma estudante da UFPA, que mantém uma perseguição machista e misógina à aluna. Como o objetivo do ato é o de expor a estudante, não compartilharemos o nome da vítima. Há um procedimento para apurar o caso na universidade.

Ainda segundo informações da coordenação sindical, nesta segunda-feira, a direção do ICB  já acionou a reitoria da UFPA cobrando providências para que se apure a ameaça que manifesta tendências fascistas.

O Sindtifes reforça a necessidade de que os fatos sejam apurados e os culpados sejam punidos! também exigimos que a UFPA se posicione publicamente e possa buscar uma solução exemplar diante dessas atitudes criminosas. O sindicato manifesta, ainda, sua solidariedade à estudante perseguida e, ainda, aos negros, homossexuais e outros alunos ofendidos pelo conteúdo do e-mail.

comments